fbpx
Logo Lenda

Muito cuidado! É a altura da Lagarta do Pinheiro!

Lagarta do Pinheiro, risco para o bem estar dos cães e gatos, saúde

A Lagarta do Pinheiro, também conhecida como Processionária, é um inseto e é conhecida como um dos principais perigos da Primavera para os nossos cães e gatos. Por isso, é importante entender o seu desenvolvimento para evitar possíveis problemas e garantir a saúde dos nosso patudos.

Em que consiste o ciclo da Lagarta do Pinheiro?

No final do Verão a borboleta põe os seus ovos nos Pinheiros. Eles eclodem em setembro e as larvas vão passando por diferentes fases de desenvolvimento enquanto formam um ninho de proteção (uma espécie de bola de algodão) e vão se alimentando através da árvore.

Quando estão completamente desenvolvidas, entre finais de fevereiro e abril (dependendo das zonas e da temperatura), as lagartas descem da árvore em grupo formando as típicas fileiras que lhes dão nome, pois parece que formam uma espécie de procissão perfeita. Movendo-se umas atrás das outras, procuram por um lugar muito longe da árvore para se enterrarem. Uma vez enterradas, deixam de representar perigo, pois transformam-se em crisálida e completam a sua metamorfose em borboleta.

Lagarta do Pinheiro, risco para o bem estar dos cães e gatos, saúde

Qual é o perigo?

Tendo em conta o ciclo que explicamos acima, de certeza que te deste conta que, neste momento, encontramo-nos na época de maior risco para os nossos animais de quatro patas.

O perigo desta lagarta deve-se aos pelos urticantes que a cobrem como mecanismo de defesa. Os cães, exploradores da natureza, podem sentir o seu movimento e aproximarem-se para a cheirar. As lagartas soltam os pelos urticantes que pode entrar no nariz e nos olhos dos cães, mesmo sem este lhes tocar, ou pior, na língua o que pode ser grave e ter consequências irreversíveis ou, até mesmo, fatais.

O contato com uma Lagarta do Pinheiro é sempre e, sem dúvida, motivo de consulta veterinária de emergência, pois os pelos continuam a libertar uma substância tóxica que necrosa (mata) os tecidos, portanto, quanto mais tempo o tratamento demorar, pior será o prognóstico. O único primeiro socorro que se poderia fazer seria lavar as áreas afetadas com água morna, mas nunca deve ser esfregado, pois isso poderia alastrar ainda mais esses pelos e agravar a situação em que o teu patudo já se encontra.

As áreas mais afetadas geralmente são aquelas desprovidas de pelos, ou seja, os olhos, o nariz e a boca. Os primeiros sintomas serão salivação abundante, irritação e coceira nos olhos e rosto, inchaço de toda a área e, principalmente, da língua. Esta sofre os danos mais característicos, inicialmente aparecendo muito inflamada e causando, consequentemente, a sua necrose (morte dos tecidos), o que muitas vezes envolve a sua perda total ou parcial. Em casos muito graves, se o cão ingerir esta lagarta, a garganta, assim como o esôfago e o estômago, ficarão danificados com a necrose, e a inflamação da faringe impediria a passagem do ar, bloqueando as vias respiratórias.

alergia à Lagarta do Pinheiro é outro dos riscos iminentes, depois do contacto com os pelos urticantes que têm substâncias capazes de originar graves reações alérgicas. Cada uma das lagartas está coberta com até 600.000 pelos urticantes brancos responsáveis pelas alergias. Estes pelos contêm a taumatopoína, que é a proteína responsável pelo efeito irritante em caso de contacto.

Tendo tudo isto em conta, é muito importante nestas alturas do ano, evitar locais onde existam pinheiros e caso não seja possível fazê-lo, é importante certificar-se de que mantém o seu amigo patudo na coleira para evitar que se aproxime das lagartas. Se tens essas árvores em tua casa, é importante preveni-las, eliminando os ninhos, montando armadilhas ou restringindo aquela área ao seu amigo patudo.

E lembra-te, qualquer duvida deves sempre consultar o teu veterinário de confiança!

Picture of Rafaela

Rafaela

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Precisa de ajuda?