fbpx
Logo Lenda

Lenda VET Gatos Slimming & Sterilized

Slimming & Sterilized CAT

Alimento dietético completo para gatos adultos com baixo teor de gordura destinado ao suporte do metabolismo lipídico em caso de hiperlipidemia e redução do excesso de peso.

Pontos chave:

  • •  Baixo teor em gordura.
  • •  Energia metabolizável mais baixa 3190 Kcal/Kg.
  •   Probióticos e alimentos funcionais para uma melhor saúde gastrointestinal e imunitária.
  • •  PNP 22 e PNP 25.

Peru (Peru fresco* mín. 20%, proteína de Peru desidratado mín. 20%), leguminosas (Lentilhas* mín. 5%), Batata*, fibra de leguminosas, farinha de Alfarroba*, óleo de Frango refinado, levedura de Cerveja (Saccharomyces cerevisiae), lignocelulose, Krill desidratado (Euphausia superba, fonte de ácidos gordos Omega-3 e astaxantina), ovo inteiro seco, hidrolisado de Fígado de aves.

FAEC Complete (extrato de Yucca schidigera, produtos à base de levedura, (Saccharomyces cerevisiae, como fonte de MOS e nucleotídeos), glucosamina, sulfato de condroitina, metilsulfonilmetano, raiz de Chicória, Salvia rosmarinus, Melissa officinalis, Taraxacum officinale, Salvia officinalis, Minthostachys verticillata, Cynara scolymus, Silybum marianum).

FAEC Inmune (microalgae oil Schizochytrium sp. (fonte de ácidos gordos Omega 3 DHA), Panax ginseng, Punica granatum, Zingiber officinale, Urtica dioica, Camellia sinensis, Curcuma longa, Harpagophytum procumbens), Cenoura, Alcachofra, Abóbora, Maçã.

FAEC Probio (Enterococcus faecium, Lactobacillus plantarum).-* Matérias-primas naturais.

Proteína bruta 30%, Gordura bruta 8%, Matéria inorgânica 7%, Fibra bruta 11,5%, Humidade 10%, Sódio 0,4%, Cálcio 1,1%, Fósforo 0,9%, ME 2903 Kcal/Kg, Atwater modificado.

Hiperlipidemia.

A hiperlipidemia, que é definida como a presença de lípidos anormalmente elevados no soro ou plasma sanguíneo, quer triglicéridos (hipertrigliceridemia) ou colesterol (hipercolesterolemia) ou ambos.

Os testes diagnósticos devem ser realizados com jejum aproximadamente 12 horas, para que a hiperlipidemia pós-prandial não seja enganosa e, no caso de se obter um soro com aspecto leitoso, a concentração sérica deve ser observada como um indicador de gravidade. A partir deste ponto, o diagnóstico da causa é fundamental, seja ela primária ou secundária a outras doenças como diabetes, obesidade, pancreatite ou hipotireoidismo; se este último for o caso, devemos tratar esta patologia primária e monitorar seu desaparecimento. Se o que encontramos é um cão com obesidade, será obrigatório o uso de uma dieta como a proposta, baixa em gordura para a perda de peso.

É importante entender que a presença de colesterol e triglicéridos em cães e gatos não pode ser extrapolada para humanos, pois eles metabolizam gorduras de uma maneira muito diferente e mais eficiente do que no nosso caso. Portanto, embora a dieta seja uma medida de controlo eficaz, não é necessariamente a causa, mas pode ser a solução. Doenças humanas comuns, como a aterosclerose, estão diretamente relacionadas à dieta, mas em gatos raramente ocorrem ou, se ocorrem, podem ser solucionadas pela dieta.

Na ausência de outras doenças, ela será uma hiperlipidemia primária, e dois tipos principais podem ser distinguidos, a hipercolesterolemia idiopática e a hipercolesterolemia hereditária. Para esse tipo de hiperlipidemia, que em humanos pode levar a outras doenças secundárias, como pancreatite e diabetes mellitus, o tratamento será puramente dietético. Embora não haja evidências de que isso ocorra em gatos, com uma dieta pobre em gordura, teor moderado de proteína, pode-se controlar o estado geral do gato. Isso porque no caso da hiperquilomicronemia, não é incomum encontrar essa condição em animais sem excesso de peso, portanto, devemos fornecer calorias suficientes para a manutenção adequada.

Novamente, em gatos, há estudos insuficientes para apoiar o benefício dos probióticos, embora novamente seu uso sugira benefícios no controle e redução de lípidos séricos em humanos não obesos com hiperlipidemia. Além disso, uma vez que os lípidos relacionados são absorvidos no intestino delgado, exigindo interação com ácidos biliares, sais e enzimas, as cepas probiócas demonstraram múltiplos benefícios para o sistema digestivo, vamos ganhar benefícios a este nível.

Redução de excesso de peso.

Se o que nos preocupa é a obesidade em gatos (acúmulo de gordura no animal acima de 20% do peso ideal), falamos de uma doença quase endêmica atualmente e um dos maiores problemas que podemos encontrar na clínica.

Viver com humanos em ambientes confinados, com um estilo de vida sedentário, excesso de calorias e dietas altamente palatáveis, perda de funcionalidade do gato, do seu comportamento de caça são em grande parte culpados pelo aumento dessa doença em presença e importância, se considerarmos a perda de saúde e qualidade de vida do gato.

Devemos entender a obesidade como uma doença chave no desenvolvimento de muitas outras doenças secundárias ou como um ator relevante no agravamento de doenças existentes, tais como: Diabetes Mellitus tipo II, lipidose hepática, doença cardíaca, resistência à insulina, doença do tracto urinário inferior, complicações articulares, dermatites, entre outras. Em outras palavras, não é uma doença menor que não merece atenção.

O ganho de peso começa quando o balanço calórico é positivo, ou seja, mais é ingerido do que gasto. Sabendo disso, podemos agir de forma eficaz para limitar o aparecimento de sobrepeso em primeiro lugar e obesidade no segundo caso, bem como sua possível solução. Podemos encontrar diferentes fatores que favorecem o seu aparecimento, a partir da raça, em que o gato europeu comum tem uma maior tendência a ganhar peso do que outra; esterilização, que exigirá um ajuste na ingestão de calorias (vai precisar de cerca de 20% menos energia); a falta de atividade física, idade e o uso de dietas inadequadas.

A perda de peso no gato deve ser gradual, uma vez que a rápida perda de peso pode levar à lipidose hepática, pelo que a monitorização veterinária é importante para garantir que o objetivo é alcançado com segurança. Geralmente, a redução de peso através da dieta será abordada através da redução de gordura para incentivar a queima de depósitos de gordura, mantendo uma boa massa muscular com o uso de proteínas de alta qualidade em concentrações adequadas.

Durante o período de restrição calórica necessária, o organismo é desafiado, o sistema imunológico e/ou digestivo pode estar compromedo, razão pela qual o uso de probióticos que irão reforçar a saúde e funcionalidade destes é claramente recomendado durante esta fase. Além de tudo isso, os possíveis benefícios da inclusão de cepas probióticas no combate à obesidade e sobrepeso estão sendo estudados, desde a modificação da homeostase energética do indivíduo, até a modulação da flora intestinal e sua funcionalidade.

Lenda VET Gatos Slimming & Sterilized

Slimming & Sterilized CAT

Alimento dietético completo para gatos adultos com baixo teor de gordura destinado ao suporte do metabolismo lipídico em caso de hiperlipidemia e redução do excesso de peso.

Pontos chave:

  • Baixo teor em gordura.
  • Energia metabolizável mais baixa 3190 Kcal/Kg.
  • Probióticos e alimentos funcionais para uma melhor saúde gastrointestinal e imunitária.
  • PNP 22 e PNP 25.

Peru (Peru fresco* mín. 20%, proteína de Peru desidratado mín. 20%), leguminosas (Lentilhas* mín. 5%), Batata*, fibra de leguminosas, farinha de Alfarroba*, óleo de Frango refinado, levedura de Cerveja (Saccharomyces cerevisiae), lignocelulose, Krill desidratado (Euphausia superba, fonte de ácidos gordos Omega-3 e astaxantina), ovo inteiro seco, hidrolisado de Fígado de aves.

FAEC Complete (extrato de Yucca schidigera, produtos à base de levedura, (Saccharomyces cerevisiae, como fonte de MOS e nucleotídeos), glucosamina, sulfato de condroitina, metilsulfonilmetano, raiz de Chicória, Salvia rosmarinus, Melissa officinalis, Taraxacum officinale, Salvia officinalis, Minthostachys verticillata, Cynara scolymus, Silybum marianum).

FAEC Inmune (microalgae oil Schizochytrium sp. (fonte de ácidos gordos Omega 3 DHA), Panax ginseng, Punica granatum, Zingiber officinale, Urtica dioica, Camellia sinensis, Curcuma longa, Harpagophytum procumbens), Cenoura, Alcachofra, Abóbora, Maçã.

FAEC Probio (Enterococcus faecium, Lactobacillus plantarum).-* Matérias-primas naturais.

Proteína bruta 30%, Gordura bruta 8%, Matéria inorgânica 7%, Fibra bruta 11,5%, Humidade 10%, Sódio 0,4%, Cálcio 1,1%, Fósforo 0,9%, ME 2903 Kcal/Kg, Atwater modificado.

Hiperlipidemia.

A hiperlipidemia, que é definida como a presença de lípidos anormalmente elevados no soro ou plasma sanguíneo, quer triglicéridos (hipertrigliceridemia) ou colesterol (hipercolesterolemia) ou ambos.

Os testes diagnósticos devem ser realizados com jejum aproximadamente 12 horas, para que a hiperlipidemia pós-prandial não seja enganosa e, no caso de se obter um soro com aspecto leitoso, a concentração sérica deve ser observada como um indicador de gravidade. A partir deste ponto, o diagnóstico da causa é fundamental, seja ela primária ou secundária a outras doenças como diabetes, obesidade, pancreatite ou hipotireoidismo; se este último for o caso, devemos tratar esta patologia primária e monitorar seu desaparecimento. Se o que encontramos é um cão com obesidade, será obrigatório o uso de uma dieta como a proposta, baixa em gordura para a perda de peso.

É importante entender que a presença de colesterol e triglicéridos em cães e gatos não pode ser extrapolada para humanos, pois eles metabolizam gorduras de uma maneira muito diferente e mais eficiente do que no nosso caso. Portanto, embora a dieta seja uma medida de controlo eficaz, não é necessariamente a causa, mas pode ser a solução. Doenças humanas comuns, como a aterosclerose, estão diretamente relacionadas à dieta, mas em gatos raramente ocorrem ou, se ocorrem, podem ser solucionadas pela dieta.

Na ausência de outras doenças, ela será uma hiperlipidemia primária, e dois tipos principais podem ser distinguidos, a hipercolesterolemia idiopática e a hipercolesterolemia hereditária. Para esse tipo de hiperlipidemia, que em humanos pode levar a outras doenças secundárias, como pancreatite e diabetes mellitus, o tratamento será puramente dietético. Embora não haja evidências de que isso ocorra em gatos, com uma dieta pobre em gordura, teor moderado de proteína, pode-se controlar o estado geral do gato. Isso porque no caso da hiperquilomicronemia, não é incomum encontrar essa condição em animais sem excesso de peso, portanto, devemos fornecer calorias suficientes para a manutenção adequada.

Novamente, em gatos, há estudos insuficientes para apoiar o benefício dos probióticos, embora novamente seu uso sugira benefícios no controle e redução de lípidos séricos em humanos não obesos com hiperlipidemia. Além disso, uma vez que os lípidos relacionados são absorvidos no intestino delgado, exigindo interação com ácidos biliares, sais e enzimas, as cepas probiócas demonstraram múltiplos benefícios para o sistema digestivo, vamos ganhar benefícios a este nível.

Redução de excesso de peso.

Se o que nos preocupa é a obesidade em gatos (acúmulo de gordura no animal acima de 20% do peso ideal), falamos de uma doença quase endêmica atualmente e um dos maiores problemas que podemos encontrar na clínica.

Viver com humanos em ambientes confinados, com um estilo de vida sedentário, excesso de calorias e dietas altamente palatáveis, perda de funcionalidade do gato, do seu comportamento de caça são em grande parte culpados pelo aumento dessa doença em presença e importância, se considerarmos a perda de saúde e qualidade de vida do gato.

Devemos entender a obesidade como uma doença chave no desenvolvimento de muitas outras doenças secundárias ou como um ator relevante no agravamento de doenças existentes, tais como: Diabetes Mellitus tipo II, lipidose hepática, doença cardíaca, resistência à insulina, doença do tracto urinário inferior, complicações articulares, dermatites, entre outras. Em outras palavras, não é uma doença menor que não merece atenção.

O ganho de peso começa quando o balanço calórico é positivo, ou seja, mais é ingerido do que gasto. Sabendo disso, podemos agir de forma eficaz para limitar o aparecimento de sobrepeso em primeiro lugar e obesidade no segundo caso, bem como sua possível solução. Podemos encontrar diferentes fatores que favorecem o seu aparecimento, a partir da raça, em que o gato europeu comum tem uma maior tendência a ganhar peso do que outra; esterilização, que exigirá um ajuste na ingestão de calorias (vai precisar de cerca de 20% menos energia); a falta de atividade física, idade e o uso de dietas inadequadas.

A perda de peso no gato deve ser gradual, uma vez que a rápida perda de peso pode levar à lipidose hepática, pelo que a monitorização veterinária é importante para garantir que o objetivo é alcançado com segurança. Geralmente, a redução de peso através da dieta será abordada através da redução de gordura para incentivar a queima de depósitos de gordura, mantendo uma boa massa muscular com o uso de proteínas de alta qualidade em concentrações adequadas.

Durante o período de restrição calórica necessária, o organismo é desafiado, o sistema imunológico e/ou digestivo pode estar compromedo, razão pela qual o uso de probióticos que irão reforçar a saúde e funcionalidade destes é claramente recomendado durante esta fase. Além de tudo isso, os possíveis benefícios da inclusão de cepas probióticas no combate à obesidade e sobrepeso estão sendo estudados, desde a modificação da homeostase energética do indivíduo, até a modulação da flora intestinal e sua funcionalidade.

WhatsApp
Precisa de ajuda?