fbpx
Logo Lenda

Lenda VET Cães Slimming & Sterilized ração

Slimming & Sterilized

Alimento dietético completo para cães adultos, indicado para o apoio do metabolismo dos lípidos em casos de hiperlipemia e redução do excesso de peso. É um alimento com baixo teor em gordura.

Pontos chave:

  • •  Formato 2 – 10Kg.
  • •  Baixo teor em gordura.
  • •  Energia metabolizável mais baixa 3190 Kcal/Kg.
  • •  Probióticos e alimentos funcionais para uma melhor saúde gastrointestinal e imunitária.
  • •  PNP 22 e PNP 25.

Carne fresca de peru, arroz integral, proteínas desidratadas de aves, fibra de leguminosas (vagens de alfarroba), vegetais (batata doce, ervilhas, feijão verde, cenoura, alcachofra), amido de ervilha, levedura de cerveja, hidrolisado de fígado de ave, óleo de galinha refinado, lignocelulose, ovo desidratado, polpa de maçã desidratada, farinha de zooplâncton marinho (Krill, fonte de ácidos gordos Ómega-3).

FAEC Completo (Extrato de Yucca schidigera, Produtos de levedura (Saccharomyces cerevisiae, como fonte de MOS e Nucleótidos), Glucosamina, Sulfato de condroitina, Metilsulfonilmetano, Raiz de chicória, Salvia Rosmarinus, Melissa officinalis, Taraxacum officinale, Salvia officinalis, Minthostachys verticillata, Cynara scolymus, Silybum marianum).

FAEC Digestive (Produtos de levedura (Saccharomyces cerevisiae, Fonte de MOS e Nucleótidos), Raiz de chicória (Fonte de Inulina), Salvia Rosmarinus, Melissa officinalis, Taraxacum officinale, Salvia officinalis, Minthostachys verticillata, Vaccinium macrocarpon, Cynara scolymus, Silybum marianum).

FAEC Immune (Panax ginseng, Punica granatum, Zingiber officinale, Urca dioica, Camellia sinensis, Curcuma longa).

FAEC Probio (Enterococcus faecium, Lactobacillus plantarum).

Proteína 23,5%, Gordura bruta 7%, Cinza bruta 6,6%, Fibra bruta 8%, Humidade 10%, Cálcio 1,1%, Fósforo 0,9%, Sódio 0,2%, EM 2949 kcal/kg.

Apoio ao metabolismo dos lípidos em casos de hiperlipemia.

A hiperlipemia é, por definição, uma concentração sérica elevada de lípidos. Esta elevada concentração de lípidos no sangue, não relacionada com a ingestão de alimentos, deve-se a uma incapacidade de metabolizar as gorduras. Inclui hipertrigliceridemia e hipercolesterolemia e pode ser idiopática por natureza ou como consequência de doenças relacionadas, como a pancreatite, problemas gastrointestinais, obesidade, diabetes…

Os cães são capazes de ingerir grandes quantidades de gordura na sua dieta, portanto, se forem detetados triglicéridos ou colesterol elevados não é necessariamente devido à ingestão alimentar. Existe uma predisposição genética, como no caso dos Schnauzer miniatura, mas a gestão nutricional é simples: com uma baixa ingestão de gordura na sua dieta e a inclusão de fibras alimentares, grandes melhorias podem ser alcançadas. A utilização de ácidos gordos Ómega-3, principalmente provenientes de peixes, é um bom aliado no controlo dos triglicéridos. Embora ainda não haja provas suficientes em cães, em humanos a utilização de estirpes como Lactobacillus plantarum demonstrou ser eficaz em casos de hiperlipemia. O que tem sido demonstrado é o benefício da sua contribuição para melhorar a microbiota contra o efeito típico do tratamento medicamentoso.

Redução do excesso de peso.

O excesso de peso e a obesidade estão entre as doenças crónicas mais prevalecentes na prática veterinária, sendo que entre 25 e 45% têm uma destas doenças. Estes são desencadeadores de outras doenças secundárias. O declínio da qualidade e da esperança de vida requer um elevado grau de consciência. Felizmente, a gestão nutricional desta doença é simples, embora exija atenção e disciplina por parte do paciente para um desempenho eficaz.

A acumulação de gordura no tecido adiposo deve-se a um desequilíbrio no consumo de energia e proteínas, ou seja, a sobrealimentação, com predisposição no seu caso, é marcada pela raça, idade, castração ou atividade física, com um grande fator contrário, como a vida sedentária e o ócio, tédio, stress que podem gerar e levar a um consumo alimentar exacerbado e consequentemente a um excesso de peso.

Em termos de raças, há uma propensão para o excesso de peso em raças como os Beagles ou Labradores, enquanto as raças mistas são menos propensas a desenvolver estas doenças. Especial relevância têm patologias endócrinas como o hipotiroidismo, a diabetes…

Devemos ter em conta a idade – ao contrário da crença popular, a obesidade não é uma doença típica em idades avançadas per se, é a conjunção de uma dieta inadequada juntamente com o estilo de vida sedentário que induzimos nestes animais, que na sua maioria acaba por forçar o aparecimento de excesso de peso ou obesidade. Finalmente, acontece que a obesidade nas primeiras fases de desenvolvimento é especialmente perigosa porque induz a presença de adipócitos ao longo de toda a vida do animal, pelo que encontraremos um animal com tendência para a obesidade e o excesso de peso durante a sua vida.

A castração ou gonadectomia desencadeia uma diminuição das necessidades metabólicas, enquanto o desaparecimento de estrogénios ou andrógenos pode aumentar a ingestão de alimento, daí a necessidade de ajuste dietético após a castração.

É particularmente importante gerir esta doença, uma vez que é um desencadeador de muitas outras doenças secundárias como a predisposição para a diabetes, hipertensão, hiperlipemia, além de ter uma influência negativa nas patologias articulares, respiratórias e cardíacas…

Lenda VET Cães Slimming & Sterilized ração

Slimming & Sterilized

Alimento dietético completo para cães adultos, indicado para o apoio do metabolismo dos lípidos em casos de hiperlipemia e redução do excesso de peso. É um alimento com baixo teor em gordura.

Pontos chave:

  • Formato 2 – 10Kg.
  • Baixo teor em gordura.
  • Energia metabolizável mais baixa 3190 Kcal/Kg.
  • Probióticos e alimentos funcionais para uma melhor saúde gastrointestinal e imunitária.
  • PNP 22 e PNP 25.

Carne fresca de peru, arroz integral, proteínas desidratadas de aves, fibra de leguminosas (vagens de alfarroba), vegetais (batata doce, ervilhas, feijão verde, cenoura, alcachofra), amido de ervilha, levedura de cerveja, hidrolisado de fígado de ave, óleo de galinha refinado, lignocelulose, ovo desidratado, polpa de maçã desidratada, farinha de zooplâncton marinho (Krill, fonte de ácidos gordos Ómega-3).

FAEC Completo (Extrato de Yucca schidigera, Produtos de levedura (Saccharomyces cerevisiae, como fonte de MOS e Nucleótidos), Glucosamina, Sulfato de condroitina, Metilsulfonilmetano, Raiz de chicória, Salvia Rosmarinus, Melissa officinalis, Taraxacum officinale, Salvia officinalis, Minthostachys verticillata, Cynara scolymus, Silybum marianum).

FAEC Digestive (Produtos de levedura (Saccharomyces cerevisiae, Fonte de MOS e Nucleótidos), Raiz de chicória (Fonte de Inulina), Salvia Rosmarinus, Melissa officinalis, Taraxacum officinale, Salvia officinalis, Minthostachys verticillata, Vaccinium macrocarpon, Cynara scolymus, Silybum marianum).

FAEC Immune (Panax ginseng, Punica granatum, Zingiber officinale, Urca dioica, Camellia sinensis, Curcuma longa).

FAEC Probio (Enterococcus faecium, Lactobacillus plantarum).

Proteína 23,5%, Gordura bruta 7%, Cinza bruta 6,6%, Fibra bruta 8%, Humidade 10%, Cálcio 1,1%, Fósforo 0,9%, Sódio 0,2%, EM 2949 kcal/kg.

Apoio ao metabolismo dos lípidos em casos de hiperlipemia.

A hiperlipemia é, por definição, uma concentração sérica elevada de lípidos. Esta elevada concentração de lípidos no sangue, não relacionada com a ingestão de alimentos, deve-se a uma incapacidade de metabolizar as gorduras. Inclui hipertrigliceridemia e hipercolesterolemia e pode ser idiopática por natureza ou como consequência de doenças relacionadas, como a pancreatite, problemas gastrointestinais, obesidade, diabetes…

Os cães são capazes de ingerir grandes quantidades de gordura na sua dieta, portanto, se forem detetados triglicéridos ou colesterol elevados não é necessariamente devido à ingestão alimentar. Existe uma predisposição genética, como no caso dos Schnauzer miniatura, mas a gestão nutricional é simples: com uma baixa ingestão de gordura na sua dieta e a inclusão de fibras alimentares, grandes melhorias podem ser alcançadas. A utilização de ácidos gordos Ómega-3, principalmente provenientes de peixes, é um bom aliado no controlo dos triglicéridos. Embora ainda não haja provas suficientes em cães, em humanos a utilização de estirpes como Lactobacillus plantarum demonstrou ser eficaz em casos de hiperlipemia. O que tem sido demonstrado é o benefício da sua contribuição para melhorar a microbiota contra o efeito típico do tratamento medicamentoso.

Redução do excesso de peso.

O excesso de peso e a obesidade estão entre as doenças crónicas mais prevalecentes na prática veterinária, sendo que entre 25 e 45% têm uma destas doenças. Estes são desencadeadores de outras doenças secundárias. O declínio da qualidade e da esperança de vida requer um elevado grau de consciência. Felizmente, a gestão nutricional desta doença é simples, embora exija atenção e disciplina por parte do paciente para um desempenho eficaz.

A acumulação de gordura no tecido adiposo deve-se a um desequilíbrio no consumo de energia e proteínas, ou seja, a sobrealimentação, com predisposição no seu caso, é marcada pela raça, idade, castração ou atividade física, com um grande fator contrário, como a vida sedentária e o ócio, tédio, stress que podem gerar e levar a um consumo alimentar exacerbado e consequentemente a um excesso de peso.

Em termos de raças, há uma propensão para o excesso de peso em raças como os Beagles ou Labradores, enquanto as raças mistas são menos propensas a desenvolver estas doenças. Especial relevância têm patologias endócrinas como o hipotiroidismo, a diabetes…

Devemos ter em conta a idade – ao contrário da crença popular, a obesidade não é uma doença típica em idades avançadas per se, é a conjunção de uma dieta inadequada juntamente com o estilo de vida sedentário que induzimos nestes animais, que na sua maioria acaba por forçar o aparecimento de excesso de peso ou obesidade. Finalmente, acontece que a obesidade nas primeiras fases de desenvolvimento é especialmente perigosa porque induz a presença de adipócitos ao longo de toda a vida do animal, pelo que encontraremos um animal com tendência para a obesidade e o excesso de peso durante a sua vida.

A castração ou gonadectomia desencadeia uma diminuição das necessidades metabólicas, enquanto o desaparecimento de estrogénios ou andrógenos pode aumentar a ingestão de alimento, daí a necessidade de ajuste dietético após a castração.

É particularmente importante gerir esta doença, uma vez que é um desencadeador de muitas outras doenças secundárias como a predisposição para a diabetes, hipertensão, hiperlipemia, além de ter uma influência negativa nas patologias articulares, respiratórias e cardíacas…

Precisa de ajuda?